Tendências de cores em 2019

Um novo ano chegando e as tendências de cores também estão mudando. Para quem gosta de ousar e garantir que os ambientes de sua casa estejam na moda, começar 2019 com novos tons vai proporcionar novas sensações aos espaços. “As tendências da pesquisa da Pantone deste ano são aplicadas muito bem na arquitetura. O importante é ter em mente que a fachada precisa ter continuidade da área interna e os ambientes manterem a combinação de cor tanto das paredes quanto da base dos móveis”, indica a arquiteta.

Separamos uma matéria do site Follow the colours com as 12 principais tendências de cores para 2019 e 4 tons neutros. Confira a matéria completa e as cores e se inspire para escolher as novas cores da sua casa.

 

Imagem: PANTONEVIEW Color Planner Spring / Summer 2019

Ventos novos sopram e estamos aqui de novo com as cores tendência da próxima estação! Essas são antecipadas para o mercado com o objetivo de influenciar as pessoas a revitalizarem o que está a sua volta, além de determinar as tonalidades que vão guiar o ano seguinte, nas áreas como a moda, arquitetura, decoração. Como a Pantone sempre realiza o seu famoso relatório, o Fashion Colors Trend Report, inspirado nas cores vistas nas passarelas de Nova York, aqui está a seleção que aponta para as mais usadas nos desfiles dos designers durante o NY Fashion Week e que estarão em voga nas coleções do próximo ano.

A publicação traz uma visão geral dos tons que se destacaram e o que os melhores designers de moda estarão mostrando quando falamos na próxima temporada, a primavera – verão 2019. As cores nas passarelas acabam sendo um indicador-chave do que podemos esperar ver em todas as áreas de design! Seria o mapa mais acessível para conhecer as tendências mais importantes nos próximos meses. Confira:

Imagem: The Style Stalker

Para a Primavera-Verão 2019 temos como cenário o desejo de encarar o futuro com cores fortes e empoderadas, que proporcionam confiança e estado de espírito pró-ativo; são cores edificantes; tons alegres que nos levam ao expressionismo lúdico e por um caminho de combinações criativas e inesperadas. O estudo desta temporada apresenta as 12 cores principais, levando em conta mais 4 tons neutros clássicos reeditados.

Reunindo na mesma esfera a alta moda e o estilo das ruas, a atitude presente na Primavera-Verão 2019 transcende a sazonalidade tanto para a moda masculina quanto a feminina. Vibrantes sem serem avassaladores, os tons indicados ilustram nosso desejo por autenticidade e a necessidade contínua por criatividade e design confiável e acessível.

 

A PALETA DA MODA PRIMAVERA-VERÃO 2019

Cores vivas apoiadas por uma série de clássicos confiáveis definem a história de primavera-verão 2019 para a moda masculina e feminina.

PANTONE 17-1564 Fiesta
Um laranja vermelho festivo, Fiesta irradia energia, paixão e emoção. (Imagem: Aeron, ImageNet)

 

PANTONE 19-1862 Jester Red
A cor adiciona profundidade e intensidade. O Jester Red é rico e combina elegância com urbanidade. (Imagem: Lan Yu – Catwalkpictures.com)

 

PANTONE 15-1264 Turmeric
Turmeric é um laranja vivo que infunde um toque de açafrão e aguça a paleta. (Imagem: Carolina Herrera)

 

PANTONE 16-1546 Living Coral
Living Coral é um coral afável e animado, cujo tom puxado para o dourado nos passa suavidade. (Imagem: Brandon Maxwell – Catwalkpictures.com)

 

PANTONE 18-2045 Pink Peacock
O Pink Peacock é um rosa tentadormente teatral que é uma festa para os olhos! (Imagem: Matthew Adams Dolan – Catwalkpictures.com)

 

PANTONE 17-0542 Pepper Stem
Pepper Stem é um verde amarelado que nos lembra o pimentão e incentiva o nosso desejo por ser generosamente saudável e a natureza. (Imagem: Tibi – Catwalkpictures.com)

 

PANTONE 13-0850 Aspen Gold
Para iluminar o seu dia, o ensolarado Aspen Gold estimula sentimentos de alegria e bom humor! Aposte nesse tom ensolarado. (Imagem: Akris)

 

PANTONE 19-4150 Princess Blue
A Princesa Azul é um majestoso tom azul royal que brilha e brilha. (Imagem: Milly Lente – Catwalkpictures.com)

 

PANTONE 18-1031 Toffee
Um marrom deliciosamente irresistível, saboroso como a bala Toffee que aguça o apetite. (Imagem: Cushnie – Catwalkpictures.com)

 

PANTONE 15-0960 Mango Mojito
O Mango Mojito é um amarelo dourado que alimenta nosso desejo por algo confortável e agradável. (Imagem: Forever 21)

PANTONE 18-0416 Terrarium Moss
Terrarium Moss evoca pensamentos da floresta: é musgo, é folhagem florescente e a beleza física do mundo natural. (Imagem: Oscar de la Renta)

 

PANTONE 14-2808 Sweet Lilac
Um rosa suave com toque de lavanda infundida, este tom facilmente nos encanta e é tranquilo. (Imagem: Sies Marjan – Catwalkpictures.com)

 

A PALETA PRIMAVERA-VERÃO 2019 DE CORES CLÁSSICAS
Para algumas pessoas, sempre haverá a necessidade de ter uma estrutura mais clássica no cotidiano. Os tons neutros desta temporada funcionam bem por conta própria, mas também servem como base para contrastes das cores distintas acima.

PANTONE 13-0919 Soybean
O Soybean é um tom natural da soja que sutilmente atrai como um neutro confiável e versátil. (Imagem: Mango)

 

PANTONE 19-3810 Eclipse
Um azul profundo do céu da meia-noite, o pensativo Eclipse é sério e misterioso. (Imagem: Amar Daved)

 

PANTONE 11-0106 Sweet Corn
Sweet Corn nos prende com sua atitude suave e amanteigada. (Imagem: Elle)

 

PANTONE 19-0805 Brown Granite
Aterrado e forte, Brown Granite é discreto, autêntico e intemporal. (Imagem: Sachin & Babi)

 

Agora é só experimentar e combinar as suas cores preferidas de maneira divertida e alegre nesta Primavera-Verão 2019!

Imagem: PANTONEVIEW Color Planner Spring / Summer 2019

 

Para mais dicas de decoração e tendências, acompanhe nosso blog > Blog RP Arquitetura.

 

Fonte: Follow the Colours

Arquitetos viabilizam mais segurança e qualidade a obras

Conheça o passo a passo para elaboração de projetos de Arquitetura. Assessoria especializada pode evitar dores de cabeça e garantir melhores resultados em obras e interiores.

Para construir, decorar ou reformar, a assessoria de um profissional de Arquitetura pode representar economia de tempo e dinheiro, além de uma maior qualidade na execução e no resultado. O trabalho do arquiteto vai desde os estudos para implantação, projeto para instalações elétricas, hidráulicas e iluminação, até definição de acabamentos como móveis e cortinas, por exemplo.

Um projeto arquitetônico é cheio de grande complexidade. Por isso, é composto de várias etapas que buscam garantir uma obra de qualidade que atenda a todas as necessidades e resultados requeridos pelos moradores. Muitas destas etapas contam com a participação ativa do cliente. Outras só dependem da autonomia e experiência do profissional.

Para ajudar na compreensão do processo de criação do trabalho de um arquiteto, conversamos com a arquiteta curitibana, Renata Pisani, que acumula um portfólio de 18 anos de experiência e mais de 200 projetos executados.

 

1. Cadastro cliente e briefing inicial

Nesta etapa, as informações fornecidas pelo cliente são muito importantes para o estudo inicial do projeto. Para isso, a arquiteta precisa de documentos pessoais do cliente e do imóvel, como guia amarela, registro de imóveis e normativas internas de condomínios.

“O briefing inicial é composto pelas informações referente ao projeto e questões burocráticas do imóvel. Pois, nele contém a metragem e informações sobre a tipologia do projeto, localização e legislação específica e vigente municipal, estadual e federal. Assim é possível verificar restrições de uso, taxa de ocupação, coeficiente de aproveitamento, recuos e afastamentos e número de vagas permitidas”, explica Renata Pisani.

 

2. Levantamento de dados e programa de necessidades

Após assinatura de contrato e a definição de prazos, arquiteta e cliente se reúnem para definição do programa de necessidades, especificando alguns tópicos necessários para realizar o projeto. Primeiramente é definido um fluxograma / organograma dos espaços, bem como características funcionais da obra. Esse seria um detalhamento de atividade que a arquiteta realizar.

São definidos também compartimentação e dimensionamento preliminares, população fixa e variável, fluxos de pessoas, veículos e materiais, mobiliário, instalações e equipamentos básicos.

O cumprimento de prazos é estabelecido nesta etapa do projeto, para que a arquiteta solicite todos os recursos necessários para execução do projeto. A partir disso é definido acabamentos e sistema construtivo pretendido. Com isso, se contempla o padrão de construção e objetivos do cliente quanto à finalidade da obra.

No último tópico deste passo é feito um levantamento topográfico planialtimétrico. Nele é descrito o terreno com precisão, indicando os limites, construções vizinhas e internas à área, ruas e as calçadas limítrofes, além da vegetação do local. O projeto só terá início pela arquiteta após a entrega da documentação necessária e do levantamento topográfico.

 

3. Estudo preliminar

Esta etapa é destinada ao estudo inicial de todas as informações levantadas no passo 02 e definição do caminho a ser adotado. “Depois de feito um levantamento, apresentamos uma solução que consideramos a melhor, considerando o dimensionamento, setorização e funcionalidade. Pois, esses pontos irão garantir a definição do estudo preliminar que melhor se encaixe na necessidade do cliente”, explica.

Em seguida é feita a distribuição dos ambientes para obter o melhor aproveitamento da ventilação e iluminação natural, proporcionando conforto ambiental em cada espaço projetado. São elaboradas e especificadas técnicas construtivas e estéticas. Por fim é feito a apresentação de planta de distribuição e/ou volumétrica, planta de layout geral para definições atendendo o programa de necessidades. “Cada detalhe é importante para segurança e qualidade da obra ou do projeto de interiores”, complementa a arquiteta Renata Pisani.

 

4. Anteprojeto

A partir da escolha do projeto (passo anterior), a arquiteta faz o desenvolvimento com representação das informações técnicas provisórias. É a hora de produzir as plantas, cortes e elevações em 3D, além da distribuição de pontos elétricos básicos. Especificação e definição dos materiais, acabamentos, mobiliário e outros itens importantes para a evolução do projeto também são apresentados nesta etapa.

Ao final haverá informações suficientes para a contratação de sondagem e dos projetos complementares. Com isso, será possível dar início aos orçamentos de execução de obra.

 

5. Projeto de Personalização

Este é o momento que a arquiteta cria um briefing completo do conceito dos ambientes, contendo definição de equipamentos de áudio, vídeo e eletrodomésticos (com seus manuais) e outros elementos que necessitem instalação especial ou grande porte. Em seguida inicia-se o desenvolvimento dos espaços que possuem instalação hidráulica ou que podem alterar alvenaria (aberturas).

 

6. Projeto legal

Aprovado o projeto e tendo em mãos toda documentação necessária, a arquiteta inicia a parte burocrática. O projeto arquitetônico é encaminhado para análise e aprovação pelos órgãos competentes para obtenção do alvará e demais licenças indispensáveis para a atividade de construção.

“Essa é uma parte fundamental e é quando muitos têm prejuízo quando não têm uma assessoria especializada. Um projeto mal elaborado pode representar a não liberação da obra e, posteriormente, a não averbação dela. Por isso, todo investimento em estudos prévios valem a pena”, reforça a arquiteta.

 

7. Coordenação e compatibilização dos projetos complementares

Este passo consiste na seleção e orçamentos dos projetos complementares específicos desenvolvidos por profissionais externos ao escritório, como: hidráulico, elétrico, fundação, estrutural, prevenção de incêndio, CFTV, drenagem águas pluviais, GLP, gases especiais, climatização, elevadores, luminotécnico, sonorização, entre outros que serão necessários.

Feito a escolha e seleção dos projetos complementares específicos, inicia-se a compatibilização do projeto arquitetônico com os demais projetos complementares.

 

8. Projeto executivo e detalhamento

O projeto é apresentado com as informações técnicas definitivas para execução de obra. Em seguida, a arquiteta trabalha em um detalhamento e memorial de tudo que foi acordado.

 

9. Acompanhamento de obra

A arquiteta começa o processo de acompanhamento, passo a passo, da obra. Além da visita ao local de obra, ela tem o compromisso de tirar dúvidas com fornecedores e solucionar os problemas técnicos que podem ocorrer durante a obra. A execução deverá ser feita por empresas especializadas que forneçam garantias nos serviços prestados.

“Estar presente em cada fase do projeto garante que o trabalho seja executado de acordo com o contrato com o cliente. Assim é possível proporcionar um ótimo resultado e um projeto excelente do início ao fim”, finaliza.

 

Tendências de Decoração em Apartamentos de Luxo

Atualmente, as decorações em apartamentos de luxo estão voltadas ao minimalismo com detalhes simples e sem exageros nos móveis e objetos. Móveis confortáveis, cores leves e acabamentos refinados fazem parte das tendências para ambientes sofisticados.

Segundo a arquiteta Renata Pisani, especializada em Arquitetura de Interiores em imóveis de Alto Padrão, atualmente os ambientes mais refinados dispensam as extravagâncias e dão lugar ao bem-estar que cada detalhe irá proporcionar. “O luxo hoje é relativo porque ele está aliado à experiência. O que diferencia é você ter boas marcas e móveis confortáveis, por exemplo, com ergonomia e tecidos de primeira linha”, explica a arquiteta.

Essa foi a linha adotada no projeto do imóvel de férias da empresária Giane Dresch, 49 anos. No luxuoso apartamento, em Balneário Camboriú, foi utilizada paleta de cores com tons fortes, além da beleza e sofisticação da pedra Ônix Iluminada. “Uma decoração que garantiu a harmonia e beleza dos ambientes do nosso apartamento”, aprovou a empresária.

Algumas dicas sobre essas tendências, que unem o simples e o sofisticado na decoração, ajudam a deixar o imóvel com muito requinte. Confira e garanta boas experiências nos ambientes da sua casa:

 

A cor do momento

Quando falamos de cores, ela precisa ser muito bem pensada porque depende do ambiente, entrada de luz, preferências da família e outros pontos. No entanto, a arquiteta de Interiores Renata Pisani conta que a cor mais usada ultimamente nas decorações de apartamentos de luxo é o cinza, principalmente aquele puxando para o fendi. 

Em algumas regiões, o bege com branco ainda é o preferido dos moradores, mas a dica é arriscar e experimentar o novo tom que vem conquistando espaço nas casas. “Aqui em Curitiba o pessoal gosta muito da combinação do bege com branco. Mas a grande tendência mesmo são os tons acinzentados, que proporcionam um ambiente muito sofisticado”, recomenda.

 

Combinação de revestimentos

Para os materiais utilizados no revestimento dos móveis, apostar em pedras, mármores e ônix são escolhas certas para apartamentos de luxo. Um ambiente com a combinação destes materiais no revestimento  traz a sincronia entre a beleza e luxo dos móveis ou paredes. As linhas e os desenhos fazem com que o ambiente transmita o luxo sem deixar de garantir a praticidade e funcionalidade de onde esteja o revestimento.

“O importante é buscar materiais de boa qualidade, porque o comprometimento com o luxuoso também tem a ver com o quanto o material utilizado na decoração é bom”, aponta a arquiteta.

 

Ponto de luz

Renata Pisani também orienta que, em apartamentos de luxo, a iluminação tem papel fundamental. “Eu busco trabalhar com sposts recuados, perfis de led. Você não vê a luminária em si, você só vê a luz mesmo. Essa é a grande sacada em apartamentos de luxo, que garante um decorado requintado e sofisticado”, afirma a arquiteta.

Na hora de escolher as luminárias, outra dica é estar atento ao ponto de luz e como ficará sua fixação no ambiente para que ele não tire a leveza dos espaços. É possível ousar na iluminação sem deixar de proporcionar boas experiências aos moradores. A tendência é a exclusividade dos objetos.

 

Madeiras nas cozinhas

Em cozinhas, o que vem sendo muito procurado para deixar um ambiente luxuoso, mas com toda a praticidade que precisamos neste local, são materiais naturais. “As madeiras e lâminas naturais são produtos bem exclusivos. As lacas alto brilho, que são as grandes tendências para as cozinhas, deixam o ambiente muito mais bonito”, finaliza Renata.

 

Arquitetura: Dicas de como criar ambientes integrados que dão certo

Menos paredes e mais integração de ambientes podem oferecer mais conforto aos moradores com espaços mais amplos e funcionais.

É cada vez mais comum que os espaços dentro de casa reflitam um estilo de vida contemporâneo. Marcado pela versatilidade e funcionalidade. Criar um layout mais aberto, em que os cômodos se misturem, é um exemplo. Por isso, a chamada integração de ambientes pode ser uma opção para quem gosta de espaços mais amplos e práticos. Além disso, pode ser definida já no projeto de construção ou no momento de renovar a casa com uma reforma.

Segundo a arquiteta Renata Pisani, o conceito espaço aberto pode oferecer inúmeras vantagens aos moradores, como aumentar o espaço e ganhar em área perceptível. “A família pode estar junta mesmo quando em ambientes separados, o que é uma ótima vantagem para quem quer ter um bom convívio familiar. Enquanto um cozinha, outro assiste TV. No entanto, podem conversar e comentar sobre o que ambos estão fazendo, por exemplo”, afirma.

Mas, antes de partir para um projeto de ambientes integrados, é preciso levar alguns pontos em consideração. Com isso, garantimos que todos os ambientes exerçam as funções que a família precisa para atender suas necessidades.

 

1- Integrando sala e cozinha

Uma grande cozinha unida à sala sem o uso de paredes para delimitar os ambientes. Essa é a forma de integração mais comum. Além de seguir as tendências atuais de arquitetura de interiores que enquadram a cozinha como uma área social da casa, um ponto de encontro da família e amigos.

Na hora de integrar esses dois ambientes, a atenção deve estar voltada com a harmonia dos revestimentos e a escolha das cores. “Integrar quer dizer unir e harmonizar cada detalhe. Pois as cores devem refletir a personalidade da pessoa e o seu lifestyle. Indico criar uma base neutra”, conta a arquiteta Renata Pisani referência em arquitetura de interiores com participação em importantes eventos, como Casa Cor Paraná e Santa Catarina e Mostra Artefacto, na capital paranaense.

 

2- Outras possibilidades de integração de ambientes

Além da cozinha e sala, há outros ambientes que também o uso do conceito de espaço aberto. É o caso da cozinha com a área de serviço, a sala com o escritório ou o quarto com o banheiro.

Além da atenção à escolha das cores para garantir uma integração harmoniosa, os móveis também têm papel fundamental. “Um estilo mais minimalista com móveis multifuncionais permite uma integração de ambientes muito mais eficaz e facilitada entre os cômodos. Portanto, a utilização de móveis para delimitar o espaço de cada ambiente é uma tendência muito mais forte no design de ambientes integrados”, recomenda Renata Pisani.

 

3- Atenção especial à parte estrutural

Para imóveis prontos, criar espaços abertos demanda, muitas vezes, derrubar paredes. Para isso, é imprescindível verificar o projeto estrutural da edificação. “Caso a construção seja de paredes estruturais, por exemplo, deve ser feito um reforço que possibilite a retirada da parede ou de parte dela.”, ressalta a arquiteta Renata Pisani.

Foi o caso da reforma realizada por Isabel Marin, 63 anos. “Fizemos a integração de ambientes no térreo da minha casa. Foi uma reforma que envolveu uma grande obra devido às paredes serem estruturais. Além disso, foram criados pilares e vigas e mexido em muita coisa. Mas o resultado ficou muito bom. Também aumentou os ambientes, deixou a casa mais clara, por conta da iluminação natural que entra agora”, conta.

 

4- Acompanhamento profissional

Para evitar frustrações e garantir um bom resultado no seu projeto, uma dica é contratar um escritório ou profissional de Arquitetura planejar tanto a parte estrutural, como a decoração. Reunir suas ideias com um profissional capacitado capaz de transformá-las em um projeto arquitetônico que possa ser executado em realidade pode fazer toda diferença.

 

“A assessoria inclui o projeto, a fase de orçamento e planejamento financeiro da obra. Colocando em uma planilha todos os custos do plano de integração. Na prática, a consultoria especializada se torna um investimento, uma vez que ajuda a ganhar tempo, economizar nas contratações, garantir a estrutura da edificação. Além de orientar na escolha de cores, revestimentos e cada detalhe da decoração”, descreve Renata Pisani, que já executou mais de 200 projetos em 18 anos de experiência.

 

 

3 dicas rápidas para quem deseja reformar

Saiba o que é preciso para realizar a reforma da casa sem ter dor de cabeça. 


Foto: Nenad Radovanovic

Para quem está se preparando para a reforma da casa, é essencial se atentar a alguns detalhes para ter uma obra de sucesso. Por isso, o escritório Renata Pisani Arquitetura & Interiores preparou 3 dicas fundamentais para quem desejar iniciar uma reforma! Confira:

 

1. Escolha do Profissional

Para ter uma reforma tranquila e sem problemas é imprescindível contratar um arquiteto de confiança. Em uma obra estão envolvidos muitos fornecedores. Além de diversos detalhes para executar e um bom arquiteto tem conhecimento para acompanhar todas as etapas sem incomodar seus clientes. Portanto, pesquise, veja o portfólio do profissional e agende uma reunião para conhece-lo melhor e apresentar suas ideias. Após a contratação, faça reuniões semanais ou quinzenais para acompanhar a evolução da reforma.

 

2. Defina o objetivo da reforma

Antes de iniciar um reformar é importante ter bem definido o seu objetivo. Pois a ela é necessária quando buscamos alguma melhoria ou apenas uma mudança no visual do espaço. Existem obras mais complexas, como por exemplo, de um móvel antigo, onde é necessário mexer na parte hidráulica, elétrica, nos revestimentos, entre outros elementos. Caso você tenha ideias, mas não tenha o objetivo claro, inicie a obra escolhendo o arquiteto. Apresente a ele ideias e ouças as sugestões do profissional.

 

3. Planejamento

O planejamento é fundamental para que não existam retrabalhos, desperdício de tempo e dinheiro, além disso um desgaste emocional para quem está reformando. Um bom projeto demanda três meses de planejamento, entre o briefing do cliente, o conceito do projeto, os projetos técnicos, a planilha de custos e o cronograma da obra. Portanto, um arquiteto de confiança é essencial para um planejamento correto.

O que achou das dicas? Clique aqui  e aproveite para conhecer alguns projetos do escritório Renata Pisani Arquitetura & Interiores.

Gostaria de fazer um orçamento? Entre em contato e saiba mais: 41 3236-1157 ou renata@rparquitetura.com.br.

 

10 vantagens de contatar um Arquiteto para sua Obra

Conheça 10 das centenas de vantagens de contratar um arquiteto para realizar a sua obra!

 

Você que já pensou em começar uma construção ou reforma com certeza já se pegou pensando se realmente deveria contratar um Arquiteto. Para ajudar a esclarecer essa dúvida vamos, primeiro, entender o que faz este profissional:

O profissional de arquitetura é responsável por:

  • Definir os materiais adequados para a execução da obra;
  • As técnicas necessárias para sua realização;
  • Otimizar gastos;
  • Projetar o conforto do imóvel;
  • Criar um cronograma de trabalho;
  • Além de outras atribuições.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o projeto arquitetônico é sinônimo de economia e investimento porque evitará gastos extras e poderá valorizar em até 50%o imóvel.

 

Contratar um arquiteto é um investimento, e não um gasto!

O valor usado para a contratação de um arquiteto é correspondente a uma pequena parcela do custo final da obra. Ou seja, um investimento que vale a pena para garantir a qualidade e valorização comercial do imóvel. Com isso, você perceberá um grande incremento positivo no custo-benefício ao contratar um arquiteto que tem como objetivo trabalhar no planejamento do conforto físico, acústico, luminotécnico e térmico da casa.

É a partir da análise realizada pelo profissional que será criado um projeto de construção adequado a atender suas necessidades e preferências ou — se o objetivo for reformar — o melhor aproveitamento do imóvel já existente.

Veja também: Tudo sobre a Art Basel Miami 2017

Abaixo listamos 10 vantagens de se contratar um Arquiteto.

1.Sustentabilidade e valorização da obra.

Contratando um Arquiteto você terá uma obra mais sustentável, assim colaborando com o meio ambiente. Além disso, o arquiteto tem uma formação única que o habilita a unir criatividade, técnica, funcionalidade e estética, contribuindo com a valorização do seu imóvel.

2.Construir com segurança.

O investimento de um imóvel necessita de um bom orçamento. Sendo assim, uma obra feita sob orientação de um arquiteto torna seu investimento seguro, porque oferece menores riscos e propensão a erros e perda de tempo.

3.Economia

Contratar um arquiteto pode custar de 10 a 20% do valor da obra, porém varia de local para local. O que, com certeza, não é um gasto e sim um investimento com retorno imediato e também uma ótima recompensa à longo prazo, com a valorização do imóvel como citado acima. Além disso, você também terá uma grande economia de materiais. Pois o arquiteto poderá te auxiliar nos melhores custo benefício que o mercado oferece.

4. Beleza x funcionalidade

Esses na maioria das vezes são os pontos mais almejados por clientes, pois quem não quer ter uma casa linda e com ótima funcionalidade. Com isso, percebemos que é o arquiteto o profissional altamente capacitado em fazer.

5. Sem preocupações ou stress

São inúmeras as preocupações e stress que uma obra pode trazer:

  • A parte burocrática da papelada;
  • A documentação para prefeitura;
  • A escolha certa de cada material;
  • Entre várias outras coisas que necessitam de um cuidado especial.

6. Responsabilidade técnica

Os Arquitetos têm uma profissão regulamentada por um órgão de classe, que seria o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU). Sendo assim, seus trabalhos são acompanhados por um documento chamado Registro de Responsabilidade Técnica (RRT). Nele constam os dados do projeto e/ou obra e as devidas atribuições do contratado, conforme disposto no Art. 45o § 1o e § 2o da Lei 12.378/2010.

7. Tempo

Você vai economizar muito tempo, desde o esboço das primeiras ideias ou necessidade até o projeto final. Pois o profissional vai fazer isso com naturalidade e rapidez. Além disso, ele também vai otimizar a busca em lojas de materiais de construção, móveis e decoração, pois tem um maior conhecimento do que há disponível no mercado.

8. Experiência

Nada como realizar uma manutenção, reforma ou obra com quem tem experiência no assunto e sabe o que está fazendo. Com isso, você evita cometer erros básicos ou deixar detalhes importantes passarem despercebidos. Portanto, contrate profissionais com experiência e cobre o profissionalismo e descrição de soluções técnicas e conclusivas aos problemas, sem paliativos.

9. Tendências do mercado

Além de ter um senso apurado das tendências do mercado, o arquiteto  pode trazer todas as inovações e novidades para dentro do seu condomínio. Por mais que você acompanhe sites de assuntos técnicos ou de decoração e revistas, sempre existe algo que você ainda não viu. Além disso você pode ter dúvida sobre a possibilidade de implementação.

10. Contatos

Quem está nesse meio há muito tempo, naturalmente tem uma rede de contatos grande: desde pedreiros, encanadores, eletricistas e instaladores até lojas de materiais, móveis e objetos desconhecidas por você, mas que têm produtos diferentes e preços melhores.

Por que contratar um Arquiteto?

Esta carta do Arquiteto João Batista Vilanova Artigas ilustra, de maneira clara,  a importância da contratação de um arquiteto.

 

Carta ao cliente

Quer conferir os projetos já realizados pela arquiteta Renata Pisani e tornar seu projeto não apenas sustentável, mas altamente elegante?

 

Renata Pisani Arquitetura & Interiores
Telefone: (41) 3236-1157
Rua Petit Carneiro, 687 Água Verde, Curitiba – PR.
renata@rparquitetura.com.br

Como escolher o Profissional correto para a sua obra?

Você sabe a diferença entre o Arquiteto, o Designer de Interiores e o Decorador?

Com a chegada do fim do ano muitas pessoas começam a fazer o seu planejamento para o ano que está por vir. Muitas vezes esse planejamento inclui a troca da decoração da casa, reformas ou até mesmo a construção de uma casa nova. Justamente nessa hora é que as dúvidas começam a surgir, como por exemplo: “Qual profissional eu devo contratar para realizar o meu projeto?”. Ou “Qual o profissional mais adequado para a minha necessidade?”.  É comum ver decoradores ou designers de interiores proporem alterações em paredes, aberturas, ampliações ou demolições. Isto é ilegal.

Decoradores e designers não dispõe do diploma legal que os habilitem interferir na obra física. Se houver um acidente, o cliente não terá a quem responsabilizar. Surge a pergunta: Qual a diferença entre o arquiteto, o designer de interiores e o decorador? Por isso, pensando em te ajudar a esclarecer essas dúvidas nós da, Renata Pisani Arquitetura de Interiores, listamos algumas diferenças entre esses profissionais.

Veja também: Saiba como reformar ou construir um ambiente sustentável

O Decorador:

O decorador é aquele profissional formado (ou não) em um curso de curta duração ou é um autodidata. Portanto, suas atribuições são muito restritas, pois seu conhecimento sobre vários componentes de uma obra é nulo. Sua função restringe-se à escolha de acessórios, móveis ou cores sem que altere fisicamente a obra. No entanto, não pode interferir no ambiente nem mesmo no detalhamento de mobiliários, cuja atribuição é do designer de interiores. Seu trabalho resume-se exclusivamente a mudanças de aparência do ambiente que não exijam habilidades técnicas.

O Designer de Interiores:

O designer de interiores, além do trabalho do decorador que vem ao final do projeto tem a função de elaborar o espaço coerentemente, seguindo normas técnicas de ergonomia, acústica, térmico e luminotécnica além de ser um profissional capaz de captar as reais necessidades dos clientes e concretiza-las através de projetos específicos. Porém seu trabalho restringe-se a ambientes internos e externos contíguos aos interiores, não podendo realizar alterações de projetos elétricos, nem mesmo de baixa tensão, como alteração de tomadas e pontos elétricos, por não poderem fornecer o Registro de Responsabilidade Técnica (RRT), conforme disposto no Art. 4o II e III da Lei 13.369/2016.

 

O Arquiteto:

O arquiteto e sua formação se dão através dos cursos de arquitetura e urbanismo que tem duração de cinco anos, em que são abordados temas como: história da arte, história da arquitetura e do urbanismo. Além de representação gráfica, informática, resistência dos materiais, construção, planejamento urbano, projeto de edificações, conforto ambiental, paisagismo, arquitetura de interiores, entre outros.

A formação em um curso de arquitetura permite que atue em várias áreas. Alguns deles são: Projetos Arquitetônicos, intervenções em fachadas, projetos de urbanismo, projetos de interiores sem restrições. Além de projetos de paisagismo, projetos de restauração, acompanhamento e fiscalização de obras. Por isso, seu trabalho se inicia a partir do momento em que se escolhe o terreno para a construção, ou seja, a implantação de seu projeto; com parecer sobre localização, legislações idílicas e urbanas, aspectos ambientais e topográficos.

 

Por tanto caro leito, além dessas diferenças básicas, é muito importante ressaltar que os Arquitetos têm uma profissão regulamentada por um órgão de classe, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU). Sendo assim, seus trabalhos são acompanhados por um documento chamado Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) onde constam os dados do projeto e/ou obra e as devidas atribuições do contratado, conforme disposto no Art. 45o § 1o e § 2o da Lei 12.378/2010.

Além de pesquisar a qualidade e experiência do profissional que você está contratando é de suma importância identificar se esse profissional está exercendo sua profissão de maneira regular. Pois você jamais iria expor a saúde de seus filhos a um Pediatra que não fosse autorizado a atuar pelo CRM (Conselho Regional de Medicina) porque então iria deixar seu lar nas mãos de um profissional sem licença de atuação?

Referências:

Conselho de Arquitetura e Urbanismo/PI – CAU/PI

Lei 12.378/2010

Lei 13.369/2016

Quer conferir os projetos já realizados pela arquiteta Renata Pisani e tornar seu projeto não apenas sustentável, mas altamente elegante?

Renata Pisani Arquitetura & Interiores
Telefone: (41) 3236-1157
Rua Petit Carneiro, 687 Água Verde, Curitiba – PR.
renata@rparquitetura.com.br

Art Basel Miami 2017

Todas as novidades e tendências da Miami Art Basel 2017 trazidas com exclusividade pela Arquiteta Renata Pisani.

Miami Art Basel 2017 abriu suas portas para o público no dia 7 de dezembro e a Arquiteta Renata Pisani estava lá para conferir às aproximadamente, 200 galerias de arte, com mais de 4.000 peças de arte moderna e contemporânea, além de peças Arquitetos e Designers renomados de várias partes do mundo. A Art Basel surgiu na Suíça, nos anos 70 e a edição em Miami ocorre anualmente desde 2002. Além da Art Basel outros eventos paralelos que acontecem na cidade, simultaneamente, compondo assim a Miami Art Week.

Veja também: Como escolher o Profissional correto para a sua obra

Dentre milhares de artistas que tiveram seus trabalhos em exposição na feira, Renata deu destaque para alguns artistas Brasileiros. Ernesto Neto, artista plástico, escultor e cenógrafo Carioca, foi um deles.

A obra de Ernesto Neto situa-se entre a escultura e a instalação. Muitas vezes sua obra cria grandes redes que o artista chamou de “colônias”. Com o uso de tensão, resistência e equilíbrio o trabalho é pendurado no teto, em formato de gotas e enormes cogumelos, criando labirintos que permite o visitante senti-la através de pequenas aberturas na superfície

Outro dos destaques Brasileiros foi o Pernambucano Cicero Dias (1907 – 2003), pintor, desenhista e ilustrador, foi um grande representante da pintura modernista do Brasil.

Em 1931 causou comoção no Salão Revolucionário com a emblemática tela de 12m “Eu vi o mundo… ele começava no Recife”, pintada entre os anos de 1926 – 1929. A obra causou escândalo pelo tamanho, pelas imagens oníricas e pelos nus ousados para a época. A obra marcaria seu ingresso, definitivo, na vanguarda modernista do país.

Além desses grandes nomes também tivemos, o Paulista Wesley Duke Lee (1931 -2010) pioneiro na incorporação dos temas e da linguagem pop no Brasil, o Carioca Ivan Serpa, arte construtivista, um dos grandes nomes do construtivismo dos anos 50, o artista plástico e fotógrafo Espanhol Miguel Rio Branco, a fotógrafa Colombiana Adriana Duque, o artista multimídia Capixaba Hilal Sami HalSonia Mena BarretoAlexandre FrangoniSérgio FerroMagda Colares, dentre outros.

Mas a cereja do bolo, segundo Renata Pisani, foram as obras do Venezuelano Carlos Cruz Diez. Ele passou sua carreira profissional trabalhando e ensinando, entre Paris e Caracas. Sua obra está representada em museus e sítios de arte pública internacional, considerado uma das figuras principais da arte cinética, atualmente reside em Paris. A arte cinética, é uma corrente das artes plásticas que explora efeitos visuais por meio de movimentos físicos ou ilusão de óptica ou truques de posicionamento de peças.

 

 

Quer conferir os projetos já realizados pela arquiteta Renata Pisani e tornar seu projeto não apenas sustentável, mas altamente elegante?

Renata Pisani Arquitetura & Interiores
Telefone: (41) 3236-1157
Rua Petit Carneiro, 687 Água Verde, Curitiba – PR.
renata@rparquitetura.com.br

 

Cinco passos para construir a casa dos sonhos

Saiba como garantir que sua obra seja planejada e executada com qualidade e da maneira que você sempre sonhou


 
Foto: Nenad Radovanovic

Comprar a casa própria, ou participar do processo da construção do seu imóvel, talvez seja um desejo de grande parte das pessoas. Se a opção for comprar um lote e iniciar uma obra do zero, a pessoa terá a possibilidade de construir a casa dos seus sonhos, isto é, escolher todos os detalhes da residência e, dessa forma, possuir uma casa pensada de acordo com aquilo que deseja. Para construir a casa dos seus sonhos é importante planejar, projetar e considerar todas as necessidades de acordo com o perfil dos moradores. Pensando nisso, a arquiteta Renata Pisani, do escritório Renata Pisani Arquitetura & Interiores, preparou cinco passos para você acertar na construção da casa dos seus sonhos. Confira:

1. Consulte um especialista

O primeiro passo para iniciar a construção da sua casa é consultar um arquiteto. Isso porque o profissional possui um conhecimento técnico para viabilizar os seus sonhos em um projeto. É imprescindível ter um arquiteto de confiança, que projete a casa conforme a sua expectativa, desde os materiais de construção até itens de decoração da residência. Esse profissional irá acompanhar a execução e o gerenciamento da obra. “Pesquise, veja o portfólio do arquiteto, obras finalizadas e em andamento, e agende uma reunião para conhecê-lo melhor. Essa escolha é sem dúvida uma das mais importantes para o resultado final”, enfatiza Renata.

2. Local

A escolha do terreno é muito importante e, por isso, é necessário tomar alguns cuidados nessa decisão, como por exemplo a localidade, dimensão média da casa que você quer, orientação solar, e, se for um condomínio fechado, é necessário verificar as exigências do local. O arquiteto responsável pode lhe auxiliar na escolha. Caso já tenha um local selecionado antes de realizar o projeto, cabe ao arquiteto formular um desenho alinhado com a sua expectativa, mas levando em consideração as informações do terreno.

3. Defina o projeto e orçamento

O terceiro passo de uma construção, após contratar um arquiteto e definir o local da obra, é alinhar com o profissional o projeto e orçamento disponível. É necessário fazer uma reunião de briefing, entre cliente e arquiteto, pois o profissional qualificado é responsável por apresentar um projeto conforme valores e expectativa dos clientes. Em relação aos valores, é importante ressaltar que o acabamento da obra tem um valor significativo na construção, e deve ser um ponto de atenção no momento de escolha. “Para evitar dores de cabeça, é indicado que o preço de cada serviço seja fechado antes do início da obra, com um orçamento detalhado por etapas e levando em consideração os prazos”, ressalta a arquiteta.

4. Contrate uma mão de obra qualificada

Com local escolhido e projeto na mão, é chegada a hora de escolher a equipe que irá trabalhar na obra da sua casa. Para não errar nessa contratação, pesquise os trabalhos anteriores do pessoal, alinhe prazos e valores. Uma opção é pedir indicação para o profissional responsável pelo seu projeto, isso porque um arquiteto qualificado terá bons parceiros para indicar. Mas, mesmo assim, é necessário conhecer os profissionais antes da contratação e não deixar de elaborar um contrato para formalizar o trabalho.

5. Acompanhe a sua obra!

O quinto passo é o mais empolgante: acompanhar o progresso da obra. Ver seu projeto ganhando forma é um dos principais prazeres de optar pela construção da casa própria. Então, prepare-se para visitar a obra e ter reuniões com os profissionais envolvidos periodicamente, pois a sua participação nesse processo irá garantir que o seu imóvel seja da maneira que você tanto sonhou!

Gostou dessas dicas? Clique aqui e aproveite para conhecer alguns projetos do escritório Renata Pisani Arquitetura & Interiores.

Entre em contato e saiba mais: 41 3236-1157 ou renata@rparquitetura.com.br